A peça do mês de março de 2016 foi…

Os Acórdãos do Concelho da Bemposta de 1852 ...

Neste manuscrito foram registados os acórdãos do ano de 1852, do concelho da Bemposta, que tinha sido criado em 1514, por Foral de D. Manuel, e foi extinto em 1855, passando o seu território a integrar os concelhos de Oliveira de Azeméis, Estarreja e Albergaria-a-Velha.

Desse período em que foi concelho, preservaram-se no Pinheiro da Bemposta alguns imóveis ou monumentos, como a casa da câmara, a cadeia, o Pelourinho quinhentista, alguns edifícios solarengos, de habitação e de culto das épocas setecentistas e oitocentistas.

Trata-se de um manuscrito ímpar para a história do extinto concelho da Bemposta e do atual concelho de Oliveira de Azeméis, onde se podem recolher informações sobre o modo como eram administrados os povos, com os deveres e obrigações a que eram sujeitos.

Estiveram em posse particular de Bartolomeu Rego, por herança familiar, e foram por si publicados no livro "Acordãos do Concelho da Bemposta" (Distrito Administrativo de Aveiro) Ano de 1852, em 2005. Em 2013 passaram a integrar o espólio da Casa Museu Regional de Oliveira de Azeméis.

Nesta sua obra, Bartolomeu Rego deixou algumas notas sobre o passado de um povoado que será sempre uma referência a manter, não apenas pelos Pinheirenses, mas por todos os Oliveirenses, pela sociedade em geral e particularmente pelas entidades responsáveis pela conservação do património e pela preservação do turismo.

Informações retiradas de: "Acordãos do Concelho da Bemposta (Distrito Administrativo de Aveiro) Ano de 1852", 2005, Casa Museu Regional de Oliveira de Azeméis.

facebook-logo