O regador

Um regador é um recipiente portátil, geralmente com uma alça e um funil, usado para regar plantas manualmente. Ele está em uso desde pelo menos 79 d.C. e desde então passou por muitas melhorias no design.
O termo "regador" apareceu pela primeira vez nos anos 1000. Anteriormente, era conhecido como "pote de água".
Em 1886 o Regador "Haws" foi patenteado por John Haws. A patente dizia "Esta nova invenção forma um regador que é muito mais fácil de carregar e derrubar e, ao mesmo tempo, é muito mais limpo e mais adaptado para uso do que qualquer outro colocado diante do público.".
Para além da rega de plantas, tem várias utilizações, visto ser um utensílio bastante versátil.
A capacidade do recipiente pode ser de 0,5 litros (para plantas domésticas de interior) a 10 litros (para uso geral em jardins). Geralmente é feito de metal, cerâmica ou plástico.
No final do cano lateral (bica), de onde brota a água, pode ser colocado um funil com uma “rosa”/filtro (um dispositivo, como uma tampa, com pequenos orifícios) para dividir o jato de água em gotas, de forma a evitar a pressão excessiva da água no solo ou em plantas delicadas.

Este regador é em folha-de-flandres. Possui forma cilíndrica, com alça na parte superior e uma pega lateral, por forma a facilitar o seu transporte e manuseio. Tem um cano na lateral (bica), em cuja extremidade se encontra, um funil com uma “rosa”/filtro.
Tem 37cm alt. x 42cm larg..
Faz parte do espólio da Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis e encontra-se em exposição permanente no espaço do jardim.